Receba nossa newsletter

 Instagram feed

73% dos consumidores esperam que e-commerce ofereça entregas ultrarrápidas




Pequenas Empresas & Grandes Negócios


As entregas ultrarrápidas, ou quick commerce (q-commerce), já fazem parte dos critérios utilizados pelos consumidores na hora de escolher produtos online. Mais de dois terços (73%) das pessoas que compram pela internet consideram esse tipo de serviço relevante, superando até mesmo os fatores preço e atendimento. O dado foi levantado pelo Capterra, plataforma de comparação de softwares do grupo Gartner, e revelado antecipadamente a Pequenas Empresas & Grandes Negócios.


Foram entrevistadas 1.063 pessoas que costumam comprar online, em todo o país, no último mês de novembro, antes da Black Friday – período em que grandes varejistas precisaram rever o discurso de “entrega mais rápida do país”, questionado pelo Conselho de Autorregulamentação Publicitária (Conar). Apesar de ser um critério importante, a falta de uma entrega rápida ainda não afugenta os clientes da loja. Apenas 25% disseram trocar de vendedor de acordo com a velocidade de entrega – entre millennials esse índice é maior, chegando a 27%. Segundo Marcela Gava, analista responsável pelo estudo, não foi seguida nenhuma definição oficial sobre o conceito de entrega ultrarrápida, mas a ideia é considerar algo que possa ser medido em minutos.


O Capterra pontua que a flexibilidade do consumidor pode estar ligada ao fato de que o quick commerce está longe de ser dominante entre as lojas de comércio eletrônico no Brasil: das nove categorias analisadas pelos entrevistados, cinco chegam a demorar mais de cinco dias para entregar os produtos comprados.


"O estudo do Capterra demonstra que o tempo de entrega está alinhado ao tipo de mercadoria e sua finalidade. Portanto, é necessário que os varejistas conheçam as características de seus produtos para poder organizar uma operação logística rápida e eficiente", diz Gava.

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube