Receba nossa newsletter

 Instagram feed

Além do Sudeste: logística começa a avançar Brasil adentro

Da redação

Com forte concentração nos estados do Sudeste do Brasil, os condomínios logísticos passam por um novo momento, em uma tendência que pode sinalizar o início da descentralização da logística no país.


O monitoramento de condomínios logísticos da SiiLA mostra que 75% dos mais de 21,6 milhões de metros quadrados de galpões existentes ainda estão concentrados nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

O boom do e-commerce fez com que empresas buscassem realizar entregas com mais agilidade. E um passo importante para otimizar este processo, é instalar operações logísticas próximas dos consumidores. De olho neste movimento, muitas desenvolvedoras estão investindo em imóveis em regiões diferentes pelo Brasil.

LOG Fortaleza II / Crédito: Divulgação LOG CP

Somente no segundo trimestre de 2022, Bahia, Ceará, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Pará e Pernambuco receberam novos espaços destinados à logística, junto com os Estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

A LOG Commercial Properties (LOG CP) é um dos players que está investindo nesse movimento de descentralização. Com mais de 14 anos de atuação, a empresa desenvolve e também faz a gestão de ativos logísticos. Para entender melhor esse movimento e as razões que estão levando a LOG a apostar além dos eixos de maior concentração logística, a redação da SiiLA entrevistou Guilherme Trotta, Diretor Comercial da LOG CP.

Presente em 18 estados brasileiros, além do Distrito Federal e 39 cidades, a LOG tem mais de 1 milhão de m² de área bruta locável (ABL) construída e está executando um ambicioso plano de expansão, chamado “Todos por 1.5”, no qual pretende mais que dobrar em ABL, somando mais 1,5 milhões de m² até o final de 2024 ao seu portfólio.

O primeiro empreendimento da LOG foi construído em Contagem (MG) e atualmente, a companhia atua em todas as regiões brasileiras. “Não é de hoje que a LOG vem atuando para levar o desenvolvimento de infraestrutura logística de galpão para o Brasil, muito pelo contrário, nós nascemos com esse propósito”, explicou o executivo.

Guilherme Trotta, Diretor Comercial da LOG CP / Crédito: Divulgação LOG CP

Trotta detalhou o plano “Todos por 1.5”, que originalmente havia sido lançado pela LOG em 2019, como “Todos por 1” com o objetivo de desenvolver mais 1 milhão de m² até 2024. “Impulsionados pelo crescimento do e-commerce e pelo fly to quality, que é um movimento que nos leva a atuar cada vez mais em todas as regiões, entendemos que a meta era muito factível de ser atingida e esse 1 milhão acabou virando 1,5 milhão de m²”.

Segundo o executivo, a LOG já está perto de atingir o objetivo e planeja os próximos desenvolvimentos para 2025 em diante. “Nosso crescimento vai sendo direcionado para locais onde já estamos e que ainda têm potencial de desenvolver novos empreendimentos, como regiões novas no Espírito Santo, onde estamos com o Viana II e já temos mapeado Viana III; Campo Grande, em Cuiabá, onde não estávamos e estamos com terreno adquirido, desenvolvendo e aprovando projeto”, acrescentou. Trotta ainda mencionou planos da LOG em cidades do interior de São Paulo, como São José do Rio Preto, Ribeirão Preto e São Bernardo do Campo.


LOG Viana I / Divulgação LOG CP

Em fase final de obras, o Log Viana II é mapeado pela plataforma Market Analytics, da SiiLA. O empreendimento tem uma ABL prevista de mais de 67 mil m² e fica na cidade de Viana, no estado do Espírito Santo, e deve ser concluído ainda este mês. O bom momento da logística se reflete na pré-locação do condomínio, que já está quase 50% pré-locado antes mesmo de ser entregue para grandes players dos segmentos de e-commerce e limpeza e higiene.


De acordo com o Diretor Comercial da companhia, a LOG tem entregado aproximadamente 75 a 80% dos seus condomínios logísticos pré-locados. Segundo Giancarlo Nicastro, CEO da SiiLA, as expectativas são boas para o desenvolvimento do mercado logístico em todo o território nacional: “o Brasil é um país com dimensões continentais e é natural que as empresas invistam para levar este produto para todo o país, principalmente onde há concentração populacional e economia forte”.

Estoque futuro


Projeto do LOG Maceió / Divulgação LOG CP

De acordo com o monitoramento da SiiLA, o volume de novo estoque de 2022 deve superar as entregas de 2021. No ano passado, o mercado fechou com 1,1 milhão de m² novos. Ao final do primeiro semestre de 2022, esse número já estava em 1,074 milhão de m² e a SiiLA monitora mais 2 milhões previstos para serem entregues ainda este ano.


Nos bastidores do mercado de Real Estate, analistas debatem a tese de que o reaquecimento das vendas no varejo físico combinado com a tendência de estabilização das vendas online possa vir a reduzir o apetite dos grandes players de e-commerce para locação de novas áreas. Porém,esse novo momento de mercado não deve afetar os planos da LOG.

“Vemos o e-commerce sofrendo um pouco em 2022 na comparação com 2021, mas não há nenhum movimento de paralização de investimento dessas empresas Brasil afora, muito pelo contrário, gigantes como Amazon e Mercado Livre estão se posicionando com novas operações”, disse Trotta. Na visão do executivo, o segmento está passando por uma fase de ajuste e não deve desacelerar a ocupação do estoque futuro. “O e-commerce continua sendo o principal drive do crescimento da LOG em todo o território nacional”, afirmou.

Quer saber mais sobre condomínios logísticos ou ler mais conteúdos como este? Acesse este link para conhecer as soluções da SiiLA e leia mais sobre o assunto no SiiLA Insights.

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
INSCRIÇÕES ABERTAS.gif