DADOS E ANÁLISES DO MERCADO IMOBILIÁRIO COMERCIAL

As últimas notícias de escritórios, imóveis industriais e shopping centers

Receba nossa newsletter

 Instagram feed

GPA tenta acelerar vendas com Mercado Livre

Valor Econômico



A rede de supermercados Pão de Açúcar começou ontem a oferecer cerca de dois mil itens na plataforma do Mercado Livre, na busca por novos canais para acelerar as vendas de alimentos pela internet, em meio a uma forte concorrência.


O GPA, dono do Pão de Açúcar, havia fechado com a Americanas um acordo em maio. Agora, terá entrega grátis em compras acima de R$ 79,90 usando a estrutura de logística do Mercado Livre.


Mais do que entrar num novo canal, o acordo deixa mais claro a forma como o GPA pensa o seu modelo de venda e de gestão daqui para frente. O grupo está montando uma plataforma aberta, que irá operar diferentes canais ao mesmo tempo, sem precisar controlar todos os processos.


Será o Mercado Livre que fará toda a logística da entrega para o Pão. O GPA apenas leva as mercadorias ao centro de distribuição do Mercado Livre em Cajamar (SP). Para parceiros que fecham acordos dentro desse sistema, 75% das entregas ocorrem em até 24 horas, diz Fernando Yunes, vice-presidente sênior do Mercado Livre. Cerca de 1,8 mil cidades são cobertas nesse prazo. Isso é possível porque a companhia se responsabiliza pela armazenagem, envio e até a logística reversa - e cobra um percentual da venda por isso (em geral, de 10% a 15%). Pão e Mercado Livre não informam essa taxa.


Até o fim do ano, os cinco centros de distribuição do Mercado Livre armazenarão produtos do Pão. O hipermercado Extra, também do GPA, deve passar a operar na plataforma ainda em 2021. O Extra começou neste mês a vender pela Americanas e pelo Supernow, ambas plataformas da B2W, concorrente do Mercado Livre. O Pão vende na Americanas desde maio.


  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube