Receba nossa newsletter

 Instagram feed

Iguatemi cria 'vitrine' no varejo físico para grifes vendidas apenas pela internet

Estadão



Pensando em aprimorar a experiência de vendas online do setor de varejo premium, a rede Iguatemi vai inaugurar hoje a primeira loja “pop-up” (temporária) do seu e-commerce Iguatemi 365. A ação faz parte da estratégia da companhia de interligar o mundo virtual ao físico dos shoppings para os consumidores. A nova unidade deve servir como expositor para marcas de luxo vendidas exclusivamente no site da companhia. “Essa combinação de online e offline vai ampliar a oferta de produtos que antes não estavam disponíveis no País”, contou o copresidente do Iguatemi, Carlos Jereissati Filho, ao Estadão.


Essa é mais uma iniciativa da estratégia da rede de shoppings na expansão do serviço de e-commerce de luxo, criado em outubro de 2019. Atualmente, o Iguatemi 365 é responsável por comercializar em seu marketplace cerca de 1,6 mil produtos de 62 marcas nacionais e internacionais, das quais 30 são exclusivas da plataforma e outras 18 não têm lojas físicas no Brasil.


“Nós sabemos que, no mundo da moda, poder tocar os produtos ainda faz muita diferença para os clientes”, afirmou o diretor de negócios digitais do Iguatemi, Mário Meirelles. Para a decoração da pop-up do Shopping Iguatemi, em São Paulo, a empresa se inspirou em grandes lojas de departamentos, como Bloomingdale’s e Barney’s New York.


Conforme divulgado pela empresa, apesar da inauguração da loja física, todo o processo de compra continuará virtual pelo site do Iguatemi 365. Dentro dessa iniciativa, a companhia também se prepara para o lançamento de um aplicativo para celulares que deve facilitar o processo de compras do marketplace.


Essas iniciativas vêm depois de a Iguatemi ampliar seu processo logístico na entrega dos itens de luxo para todo o Brasil. A empresa, contudo, não divulga as informações sobre investimentos das iniciativas de expansão da operação. No terceiro trimestre, a companhia teve prejuízo de R$ 57,9 milhões. O resultado foi reflexo do efeito negativo da Infracommerce, empresa relacionada ao mundo digital na qual o grupo detém participação.

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube