DADOS E ANÁLISES DO MERCADO IMOBILIÁRIO COMERCIAL

As últimas notícias de escritórios, imóveis industriais e shopping centers

Receba nossa newsletter

 Instagram feed

Modelos de estadia flexível atraem hotéis e viram opção para driblar a crise no setor

Estadão



O setor hoteleiro foi, sem dúvida, um dos mais afetados pela pandemia. Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH) mostrou que, em março, a taxa de ocupação dos empreendimentos hoteleiros no Estado de São Paulo, por exemplo, foi de apenas 19,18% em março.


Para driblar essa crise, algumas empresas optaram por embarcar na onda das plataformas de locação flexível (contratos de aluguel com duração mais curta que o padrão). Uma que acaba de integrar esse nicho em seu marketplace é a Housi, que tem atingido 80% de ocupação média das unidades que disponibiliza em sua plataforma. A empresa já fechou parceria com grandes marcas de hotéis pelo Brasil, como Staybridge Suites São Paulo, Blue Home by Blue Tree, Hilton São Paulo Morumbi, Transamérica Resort Comandatuba e Nacional Inn, entre outras. Além de contar com toda a tecnologia da plataforma, eles têm a possibilidade de vender estadias com tempo maior de hospedagem e acessar um público novo, que busca o conceito de moradia por assinatura da Housi.


Com o objetivo de facilitar as escolhas de quem viaja e gerar receita para empreendimentos e proprietários, a startup Migro é outra que aposta no setor hoteleiro. A plataforma disponibiliza em torno de 2 mil unidades, entre apartamentos, casas e vilas, todas localizadas em hotéis, flats, resorts ou condomínios com infraestrutura e serviços hoteleiros.


Segundo o fundador Sergio Assis, a hospedagem por temporada é uma tendência forte, mas a empresa não direcionou toda a estratégia para essa modalidade. “Desenvolvemos soluções em que oferecemos opções para quem deseja se hospedar em hotéis e resorts, mas também temos o modelo de locação por temporada como opção, pois estamos em uma fase de mudança de costumes no modo de se fazer reservas em meios de hospedagem”, ele fala.

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube