DADOS E ANÁLISES DO MERCADO IMOBILIÁRIO COMERCIAL

As últimas notícias de escritórios, imóveis industriais e shopping centers

Receba nossa newsletter

 Instagram feed

Pernambucanas e Magazine Luiza disputam varejo físico no Rio de Janeiro

Forbes



O mercado varejista do Rio de Janeiro vem atraindo players importantes durante a pandemia, apesar dos desafios das medidas de restrição social. Depois de quase 20 anos fora do mercado fluminense, a Pernambucanas intensificou seu movimento de abertura de lojas físicas e já soma 30 pontos no estado, além de outros 12 que devem ser inaugurados ainda neste ano. Já o Magazine Luiza, que descartava a possibilidade de entrar no mercado local, inaugurou 23 pontos no Rio no começo de julho e já iniciou investimentos para abrir mais 27 lojas ainda em 2021.


A mudança estratégica das companhias tem um motivo: “a crise também gera oportunidades. Há uma menor oferta de produtos e de lojas, e uma possibilidade de negócios mais bem-sucedidos no aluguel de pontos comerciais. Há mais pontos comerciais disponíveis e a preços mais acessíveis”, explica Sérgio Borriello, CEO da Pernambucanas.


Razões semelhantes são apontadas por Fabrício Garcia, vice-presidente de operações do Magazine Luiza: “o mercado imobiliário do Rio de Janeiro é muito caro. O momento fez com que a gente conseguisse melhores contratos de aluguel.


”De fato, o comércio fluminense é a moradia de valiosos endereços para os negócios varejistas, a exemplo dos calçadões de Duque de Caxias, Madureira e Nova Iguaçu. E segundo, João Gomes, diretor do IFec RJ (Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises), cerca de 40 a 50 mil empresas do estado tiveram que fechar suas portas definitivamente desde o início da pandemia, aumentando a vacância de pontos comerciais e reduzindo seus aluguéis.

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube