Receba nossa newsletter

 Instagram feed

Renner quer abrir até 50 lojas em 2022, mas sem deixar de investir no digital, diz CEO

Valor Econômico



O diretor presidente da Renner, Fabio Adegas Faccio, disse que a empresa irá retomar seus investimentos em lojas físicas. “Pretendemos inaugurar entre 40 a 50 lojas físicas no ano que vem”, disse, ponderando que o grupo continuará a investir no segmento digital de forma simultânea.


O executivo explicou que a rede física acaba sendo uma rede de apoio importante para o braço digital. “Quando abrimos lojas em praça, a venda digital para aquela praça aumenta em torno de 20 pontos percentuais, fora a venda física que entra”, disse.


O executivo apresentou ainda boas perspectivas para o seu braço de crédito, a Realize. Hoje, o ecossistema total do grupo tem cerca de 16,3 milhões de clientes ativos, enquanto isso a Realize tem apenas 5 milhões. Desta forma, a base da Realize deve continuar crescendo.


“A gente estima que com mais clientes e mais produtos a Realize continue com participação importante no ecossistema. Entre 15% a 20% do Ebitda deve vir da Realize em nossas estimativas”, disse.


Retomada do varejo


Faccio destacou que a retomada do setor de varejo tem sido bastante promissora, com o grupo quebrando diversos recordes de vendas em datas comemorativas.“Além de uma boa retomada desde o mês de abril, a gente vê o último trimestre do ano na mesma batida. E alguns eventos ao longo desse ano que foram muito positivos. Tivemos um dia das mães recorde, dia dos namorados e pais também recordes”, disse.


Sobre a semana da criança (semana do dia 12 de outubro) o grupo registrou recorde nas vendas, com crescimento de 35% em relação a 2019, disse o executivo. Ele deu ainda sinais otimistas com a retomada diante do avanço da vacinação, que tende a fortalecer as vendas de lojas físicas na Black Friday, Natal, e Ano Novo.


Um desafio, entretanto, tem sido a inflação, cujos efeitos podem ser sentidos em toda a cadeia, em especial transporte (com o petróleo) e no algodão.“A pressão inflacionária tem sido grande, sim. Isso vem pressionando ao longo do ano. Impacta importados e nacional pela matéria prima. Continuamos trabalhando (para contornar o cenário)”, disse.

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube